Blog do Cadu: Lula fala que não é candidato a 3º mandato, sobre CPMF e Petrobrás

sábado, 27 de outubro de 2007

Lula fala que não é candidato a 3º mandato, sobre CPMF e Petrobrás




Lula volta a afirmar que não apóia proposta de terceiro mandato


Irene Lôbo
Repórter da Agência Brasil



Brasília - No dia em que comemora 62 anos de vida, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a afirmar que não apóia a proposta de um terceiro mandato para a Presidência da República. Segundo ele, o Brasil não precisa disso, e a alternância do poder é necessária para fortalecer a democracia.

“Continuo dizendo que esse negócio de você achar que tem pessoas que são imprescindíveis, insubstituíveis não existe na política. Está cheio de brasileiros e brasileiras com condições de governar o país”, afirmou Lula, enquanto participava de uma comemoração pelo seu aniversário na manhã de hoje (27), diante do Palácio da Alvorada.

Durante a semana, jornais noticiaram que deputados aliados têm sugestões preparadas para permitir um terceiro mandato de Lula, e que planejam colocar em breve a discussão na pauta de votações do Congresso Nacional.

Ao comentar o direito de greve dos servidores públicos, regularizado nesta semana pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente voltou a afirmar que cruzar os braços é uma conquista universal para os trabalhadores no mundo inteiro, mas que greves não são férias e, portanto, não seria justo receber o salário pelos dias parados.

“Se um cidadão decreta uma greve e fica 90 dias de greve e recebe o salário, significa que não foi greve, foram férias”.

Lula sugeriu que a regulamentação da matéria poderia ser feita junto com os sindicatos dos servidores e enviado de comum acordo para o Congresso Nacional, mas destacou que não há pressa para que isso aconteça.

“É que esses acordos são difíceis de ser feitos. Nós não temos que ter pressa, não é uma coisa que você tem que fazer hoje ou amanhã, é preciso construir”.

Sobre a votação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), Lula disse que está tranqüilo porque sabe que o Senado tem clareza do que significa essa arrecadação para o Orçamento da União.

“Eles sabem disso, sabem o compromisso que nós temos com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), sabem a quantidade de dinheiro que os governadores vão receber para fazer investimento em obras de saneamento básico. Acho que vai ter barulho, mas a maioria dos senadores votará favorável porque eu acredito que a maioria é responsável por esse país”.

Lula também falou de economia. Ele se referiu à visita que fez ontem (26) à Petrobras, onde teria constatado que há poucos fornecedores preparados para o crescimento da economia. “É preciso incentivar esses empresários a investir mais, criar novos postos de trabalho, produzir mais”.

Pouco mais de 100 pessoas, a maioria militante do Partido dos Trabalhadores (PT), prepararam uma pequena festa para o presidente, com direito a balões, bolo, refrigerante e pirulitos. Lula agradeceu a Deus por estar completando 62 anos com saúde e disse que espera comemorar seus 72 anos. “É apenas uma questão de tempo”, brincou.

Nenhum comentário: