Blog do Cadu: Alagoas é o Estado mais violento do Brasil. Qual a novidade?

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Alagoas é o Estado mais violento do Brasil. Qual a novidade?


Já tem muito tempo que nosso Estado está entre os mais violentos do país, na verdade já tem um bom tempo que estamos em primeiro lugar neste lamentável ranking.

Mesmo com aumento em investimento em segurança pública, mais carros, armas, munição, policiais, delegacias... E por aí vai (se que se teve mesmo), por mais que seja necessário, não resolve.

O problema da violência é o da concentração e renda, o da falta de oportunidades. Além do fato de que por aqui nossa construção histórica foi muito mais concentradora de poder politico e econômico que em outros Estados da Federação.

Conforme dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado ontem pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os Estados com os aumentos mais expressivos da violência são Alagoas (42,8%), Amazonas (32,2%), RN (23,9%) e Sergipe (23%).

Note que tivemos quase o dobro de aumento da violência em relação a Sergipe.


Por séculos temos uma população rural e extremamente pobre. Totalmente depende da safra da cana de açúcar, que não ocorre o ano inteiro. Um êxodo rural gigantesco. Em Maceió temos por volta de 01 milhão de habitantes num Estado de 03 milhões. E desse milhão, perto de metade sequer vota aqui, o que, tirando os casos de transferência de título eleitoral pra votar em pelanco de coronel no interior, a maioria das pessoas não são de Maceió.

Vieram “tentar a vida” na capital.

A concentração de renda, concentração de poder politico ocasionam esse tipo de mazela ao povo alagoano. Já passou da hora de mudarmos de fato o canário político daqui. Não dá mais pra ficarmos nas mesmas relações de poder de centenas de anos atrás.

Alagoas precisa definitivamente se modernizar. Não falo no sentido tecnológico, mas no modus operanti de fazer politica por aqui, de gerar riqueza por aqui. Se no resto do Brasil a coisa já anda arcaica, imagine na Terra dos Caetés.

Nenhum comentário: