Blog do Cadu: Urubóloga suspeita de Dilma: é caso de impeachment !

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Urubóloga suspeita de Dilma: é caso de impeachment !


O IBGE divulgou nesta terça-feira nota para explicar por que, como sempre faz, mudou os pesos do cálculo da inflação.

Por Paulo Henrique Amorim*
É uma mudança para refletir os novos hábitos de consumo da população:

Nota de esclarecimento sobre as mudanças nas estruturas de ponderação do IPCA e INPC


De acordo com os princípios e as melhores práticas internacionais de disseminação de estatísticas oficiais, o IBGE divulgou ontem, 28/11/2011, o detalhamento das alterações na estrutura de ponderação dos índices de preços em sua página na internet, por meio da nota intitulada “Nota técnica do SNIPC – Atualização das estruturas de ponderação a partir da POF 2008-2009”.


Importante realçar que já no dia 28/09/2011, o IBGE divulgou, a nota “Janeiro de 2012 – IPCA e INPC terão estruturas de pesos atualizadas”, em que informa que as novas estruturas de gastos de consumo, estariam disponíveis na última semana de novembro deste ano. O mesmo anúncio foi feito, também, pela Coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes, aos jornalistas presentes à entrevista coletiva quando da divulgação do IPCA/ INPC de setembro, em 7/10/2011. Na ocasião foram prestados todos os esclarecimentos solicitados pela mídia sobre o assunto.


Quanto às alterações da estrutura de consumo das famílias brasileiras, estas foram apresentadas na divulgação dos resultados da POF 2008-2009, em 23/06/2010, valendo destacar o caso da redução do peso do grupo Educação nos orçamentos familiares, que passou de 4,1% em 2002-2003 para 3.0% em 2008-2009. No entanto, como o IBGE não faz previsão a respeito de resultados, não há o que comentar a respeito do que ocorrerá a partir de janeiro de 2012 com os índices de preços.


As mudanças nas estruturas de ponderação são parte dos procedimentos regulares de atualização dos índices de preço ao consumidor adotados pelos produtores de índices. O IBGE tem adotado este procedimento sistematicamente, a exemplo da incorporação dos resultados da POF 2002-2003 realizados em julho de 2006 e anunciado em dezembro de 2005. Procedimento similar ao atual e anunciado em 2011 em três ocasiões distintas.


Mais uma vez, o IBGE coloca-se à inteira disposição da mídia e da sociedade em geral, para prestar quaisquer esclarecimentos que se façam necessários sobre esse assunto, seguindo os princípios de transparência, imparcialidade e igualdade de acesso que sempre nortearam sua atuação.


NAVALHA


No Bom Dia (?) Brasil de hoje, a Urubóloga e o Chico Pinheiro se divertiram muito com a expressão “jabuti não sobe em árvore”.

A Urubóloga atribui o provérbio à sabedoria mineira.

Só que não é.

É um provérbio português que entrou para o dialeto da política brasileira por um coronel maranhense, Vitorino Freire, que costumava justificar o regime militar dessa forma: “se você vir um jabuti numa furquilha deixa ele lá, porque jabuti não sobe em árvore, alguém foi que botou lá”.

(Do livro “Sarney – a biografia”, de Regina Echeverria, editora Leya, pág. 82.)

No Bom Dia (?) Brasil, o que se depreende é que a Dilma botou o jabuti na árvore.

A Urubóloga suspeita que as mudanças do IBGE tenham sido feitas “na direção do que o Governo precisava”.

Isso é gravíssimo !

Se a Dilma botou o jabuti na árvore, é caso de impeachment !

Manipular a taxa de inflação significa manipular a remuneração de todos os títulos do universo financeiro do país.

Significa meter a mão no bolso dos detentores de títulos para garantir que a meta de inflação seja cumprida.

E o IBGE, nesse quadro de jabutis na árvore, passa a ser cúmplice da patranha: um órgão que não merece ser respeitado.

O IBGE está no bolso de quem: de credores ou devedores ?

Veja, amigo navegante, a gravidade dessa suspeita !

Sua diretoria tem que ser imediatamente removida e substituída, depois de apuradas as responsabilidades criminais.

É o que acontece quando o Governo deixa a Globo dizer o que bem entende.

O problema não é a Miriam, que, como se disse aqui, é um embutido da Sadia composto de ideias que, separadas, não gostaríamos de consumir.

Ela, como se vê, confunde o Maranhão com Minas (começam com “m” …)




Clique aqui para ler “Arruda: ‘não há democracia na mídia’”.


*Reitrado do Blog "Conversa Afiada" - clique aqui

Nenhum comentário: