Blog do Cadu: Cotas raciais: A primeira grande besteira do BBB12

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Cotas raciais: A primeira grande besteira do BBB12



Tá bombando na net o vídeo e imagem com o diálogo do Pedro Bial e um participante do BBB 12 sobre cotas para negros no Brasil.

Não quero aqui fazer o debate sobre o programa em si. Se é bom ou ruim. Se se deve assistir ou não programas do tipo Big Brother. Isso cabe a cada um.

Agora vamos ao que foi dito. O carinha lá falou que era contra a cota porque embaixo da pele é sangue e sangue é vermelho e que todos seriam iguais.


Junto com a foto e o vídeo vem a expressou “mitou”...



Pra mim tá muito mais como “besteira”

Pois bem...

Primeiro, que ninguém vê o sangue de ninguém. O que se vê é a cor da pele das pessoas e infelizmente existe uma preferencia social pela cor branca. Dizer que não existe racismo no Brasil é no mínimo irresponsabilidade.

Se o que vale é a cor do sangue, então o “Brother” deveria arrancar sua pele fora e sair por ai com a carne amostra (obvio que isso é impossível, é apenas ironia com a fala dele).

Dizer que somos todos iguais é de uma ignorância sem tamanho. Uns são mais iguais que outros. Infelizmente.

Ou vai dizer que o dono da Wolksvagem seria tratado da mesma forma que um gari em um restaurante?

Vai dizer que as favelas brasileiras não são compostas predominantemente de negros e negras?

Vai dizer que nas salas de medicina Brasil à fora as turmas não são pálidas de tanta brancura?

Vai dizer isso?

As cotas, ao contrário dos que pregam os “defensores da igualdade”, não pregam incompetência ou incapacidade. Apenas se reconhece a injustiça cometida pelo Estado brasileiro através dos séculos com os negros.

A escravidão no Brasil só acabou oficialmente em 1888. Um dia desses...

A tese da harmonia de étnica no Brasil é defendida pela elite branca que não quer seus filhos e filhas convivendo em mesmos espaços que “os neguinho da favela”

Tratar diferentes como iguais é a melhor forma de manter a diferença.

Um dia teremos a tal harmonia étnica no Brasil ou algo perto disso, mas ainda estamos longe, muito longe

Reparem no vídeo abaixo onde acontece tal diálogo. Só tem branco ao redor do “neguinho cabeça”, como muitos devem ter pensado após ouvir tal conversa. E é claro que ele aplaudido por todos.


Nenhum comentário: