Blog do Cadu: Generación Y não, Generación Coca-cola com batata frita

segunda-feira, 5 de março de 2012

Generación Y não, Generación Coca-cola com batata frita


E não é que a casa da cubana Yoani Sánchez está caindo de podre. Desde a farsa de seu perfil no twitter com seguidores falsos a sua relação estreita como governo estadunidense.

A blogueira pra quem não sabe morava na Europa até que pediu para voltar a morar em Cuba. Faço esse lembrete por que muito se fala da não liberação dela para sair do país, sendo esta uma das bandeiras da “defensora da liberdade”.

Pois bem, o site do Jornal do Brasil lançou uma reportagem falando um pouco mais da picaretagem de Yoani. Acho que seu blog deveria mudar de Generación Y para geração Coca-cola com batata frita.

Abaixo a matéria do Jornal do Brasil – clique aqui



Investigação descobre fraude da blogueira cubana Yoani Sánchez



Velha opositora do governo cubano, a blogueira Yoani Sánchez teve um dos seus truques revelados pelo jornalista francês Salim Lamrani. De acordo com uma investigação conduzida por ele, o perfil de Yoani Sánchez no Twitter é artificialmente "bombado" por milhares de perfis falsos.

Generación Y

Sob o nome de Generación Y, o mesmo do blog que a deixou famosa, o perfil de Yoani no microblog tem 214 mil seguidores. Considerada pela mídia estrangeira como "influente", ela é seguida por apenas 32 cubanos. Mas as estranhezas não param por aí.
Super-seguidora

Yoani segue 80 mil pessoas no Twitter, um número completamente descabido. Conforme Salim Lamrani apurou, a blogueira cubana usa sites de troca de seguidores para aumentá-los e parecer mais popular na internet. Em troca de receber novos usuários, ela precisa segui-los. Daí a razão para seguir 80 mil perfis no Twitter.

Super-seguidora II

A fraude da cubana não para por aí. Do total, cerca de 47 mil seguidores do Yoani são falsos. São usuários que não são seguidos por ninguém, não seguem ninguém mais exceto a própria blogueira e sequer têm fotos de perfil.

O medo chama

Vazamentos recentes do Wikileaks indicam que o sucesso de Yoani na internet também tem o dedo do governo norte-americano. Nas correspondências, funcionários do governo americano mostram preocupação com as mensagens pessoais da blogueiras, que poderiam comprometê-la internacionalmente.

Escândalo abafado

A cubana, aliás, protagonizou um dos momentos mais pitorescos da imprensa internacional nos últimos anos. Ela convocou vários jornalistas para uma coletiva de imprensa na qual explicaria um suposto sequestro seguido de espancamento em público. Os agressores seriam integrantes do governo de Fidel Castro.

Só que Yoani apareceu na coletiva sem qualquer traço de agressão no corpo, não soube explicar como as manchas sumiram num intervalo de 24 horas e não apresentou qualquer testemunha.

Nenhum comentário: