Blog do Cadu: Alagoas: Mais do mesmo

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Alagoas: Mais do mesmo

Clique para ampliar
Êita Alagoas velha de guerra... Ontem dois fatos que mostram como as coisas pararam-no tempo por aqui. A eleição de Fernando Toledo, atual presidente da Assembleia Legislativa, para o Tribunal de Contas do Estado, e a outra foi que o delegado, Haroldo Lucca, responsável pela Operação Espectro sobre o desvio de R$ 300 milhões de reais furtou, junto com outras “peças lordes”, cheques apreendidos na ação policial.

A eleição de “Fefê” era certa. O presidente de um poder é candidato a alguma coisa e o colégio eleitoral é esse poder... Barbada! A mesadinha agora para ele será em torno de R$ 21 mil reais para aprovar as contas do seu aliado Téo Vilela.

Sem falar que a função de Conselheiro do TCE é vitalícia. Talvez só o céu seja melhor.

É muito açúcar nas nossas instituições. Alagoas morrerá de diabetes. Tenho certeza.

Sem falar nos dentes podres pelo alto consumo de açúcar numa realidade onde a saúde é uma lástima.

Lástima também é a segurança pública. Num Estado onde se tem os piores índices sociais, polícia, somente, não dá nem pro cheiro na solução dos problemas da violência.

Mas como diria Falcão (cantor brega): “...mais pior seria se pior fosse...”.


E é! O diretor metropolitano da Polícia Civil, Arnaldo Soares, chegou a afirmar que acusação de assassinato nada tem a ver com a função de delegado de polícia. (veja aqui)

Essa pérola se deu quando da soltura em condicional do ex-deputado Francisco Tenório. Sua prisão se deu pela acusação de assassinato do vereador em Delmiro Gouveia, Fernando Aldo.

O chefe da Delegacia de Combate aos Crimes contra Ordem Tributária e Administração Pública (Decotap), Haroldo Lucca, “afanou” os cheques e juntos com seus “pariceros” estavam descontando e embolsando os valores.

“Luquinha” é ousado ou se vale da impunidade?

Com as relações de poder em Alagoas, acho que a ousadia só existe pela confiança na impunidade.

Certas bizarrices não são privilégio das Terras Caetés, não. Como muita gente pensa que é e outras que querem que se pense assim.

As duas acima estão entre as que não são. Mas seus requintes, sim.

Repare: A sabatina para Conselheiro tiveram dezenas de candidatos e como peças de dominó emparelhados, todos foram derrubados até ficar apenas uma peça: Fernando Toledo, atual presidente da Assembleia Legislativa do Estado. Intrinsecamente ligado à Cooperativa dos Usineiros (maior partido político de Alagoas), trata-se de usineiro também. Essa peça já era ventilada para ocupar a vaga no TCE a muito tempo. Já era “roleto chupado”.

Fizeram um circo danado, só pra tapear o povo alagoano. Sem que quem assume no lugar de Toledo é o Antonio Albuquerque, o "Toinho Malvadeza".

Sobre o delegado: ele era o responsável pela operação que investigava desvio de recursos para a segurança pública.

Será que ele pensou que vale a máxima do ladrão que rouba ladrão?

E você que está lendo isso e fico revoltado(a), ao invés de sair de perto dessa “lameira” vá pra dentro, como se diz. Participe da vida política de sua cidade, estado, país... Quanto mais gente participar, mais difícil esse ambiente de impunidade e “mãos bobas”.



Leia mais sobre a eleição de Toledo aqui ou aqui

Leia mais sobre o delegado sabichão e sua turma aqui ou aqui

Nenhum comentário: