Blog do Cadu: Os rumos da CPMI da Veja

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Os rumos da CPMI da Veja

A batalha pelos rumos da CPMI da Veja / Cachoeira / Globo está só começando e já está a mil por hora. A grande mídia tenta a todo custo desvirtuar a real motivação desta Comissão. Afinal, está em jogo sua imagem de sacro santa defensora da democracia no Brasil.

Tem gente que realmente acredita nisso... Pode?

Por décadas os jornalões (Folha, Estadão e o Globo), a Veja, a TV Globo e todos os seus aspones fizeram ou tentaram fazer, o povo brasileiro acreditar em um monte de manchetes bombásticas e aterrorizantes afim de construir a sua “opinião pública”.

E não faltou xeléleu na institucionalidade para ajuda-los nisso. Um deles já foi abandonado à própria sorte, Demóstenes Torres. Aquele quem a mídia golpista chamava de grande defensor da moral e ética no Congresso.

Este pode ser o momento de se tirar um monte de coisa a limpo, mas a limpo mesmo e não jogar as coisas pra debaixo do tapete e pior, a grande imprensa (ou como o PHA batizou: PIG), nos fazer acreditar que não tem nada embaixo do tapete e se tiver foi a esquerda ou quem quer que seja que não coadune com sua postura golpista que o fez.

Abaixo reproduzo postagem do Conversa Afiada (clique aqui) sobre a CPMI da Veja.


O “abafa” para salvar o Robert(o) e os Marinho


O Conversa Afiada considera que, se não interrogar e indiciar o Roberto(o) Civita e os filhos do Roberto Marinho – eles não tem nome próprio –, a CPI será uma fraude.

Essa é a CPI da Veja e da Globo (os dois juntos, porque elas são a corda e a caçamba).

A Veja se acumpliciou ao crime organizado com o Demóstenes e o Cachoeira, recolhia o detrito sólido de maré baixa e a Globo, segundo o catecismo do Cardeal Ratzinger, o Ali Kamel, transformava esse detrito sólido em Chanel # 5.

Assim começou o mensalão – clique aqui para ler “TV Record melou o mensalão” -, assim o Daniel Dantas tirou o pescoço da forca com o grampo sem áudio – que o Luiz Fernando Correa não achou até hoje – e, mais recentemente,  invadiram o Hotel Naoum em Brasília, para plantar cocaína no apartamento do José Dirceu.

(Mais tarde, dois dos personagens envolvidos nas ações em tela – Demóstenes e a imagem do suborno nos Correios; e Gilmar Dantas, com Demóstenes, no grampo sem áudio – os dois, juntos, aparecem num outro grampo edificante – clique aqui para ler “Gilmar não explica Demóstenes – o Gilmar mandou buscar”.)

Demóstenes, Cachoeira e a Delta estão mortos.

Essa CPI é a do PiG (*).

É para apurar como se trama o Golpe no Brasil: com o crime organizado.

Ou seja, como os conservadores querem revogar a decisão do eleitor e derrubar qualquer presidente trabalhista.

Nas páginas do PiG (*).

Com material do crime organizado.

Clique aqui para ver o video: “O Globo é a vanguarda do Golpe, em 1964 e hoje”.

No momento, desenrola-se uma operação “abafa” no PiG (*).

Tirar a Veja e os filhos do Roberto Marinho da CPI da forca.

É o que fazem a Folha (**) na pág. A6 desta segunda-feira, e o Estadão, na A4 (o Estadão partiu dessa para melhor: eliminou as fontes de informação – é ele próprio a fonte de si mesmo, e dane-se a verdade factual.)

Eles traçam o roteiro e o foco da CPI.

E nem falam do Robert(o) Civita ou dos filhos do Roberto Marinho.

É o pacto do silêncio: a Folha e o Estadão “desvendam” o foco da CPI e ignoram a Veja, o Policarpo e os filhos do Roberto Marinho.

Logo os PiGs (*) de São Paulo, que estão à beira da morte, exatamente por causa do poder predatório da Rede Globo.


A Judith Brito, presidia a ANJ quando pronunciou a histórica frase: o PiG (*) é a oposição.

Por isso, mereceu o prêmio O Corvo, distribuido no primeiro encontro de blogueiros sujos, em São Paulo, dois anos atrás.

E, deselegante, ela nunca foi buscar.

(O próximo encontro será no dia 25 de maio em Salvador – clique aqui para ler “Barão de Itararé convida Ayres Britto para encontro de bogueiros sujissimos”. E aqui para ler sobre a entrevista que Ayres Britto deu à Carta Capital sobre o julgamento do mensalao: “não haverá linchamento”. )

Aí, pergunta-se: a Associação Nacional dos Jornais vai defender o Robert(o) Civita e sua liberdade de imprensa ?

Clique aqui para ver o que aconteceu com o Rupert Civita na Inglaterra.

A ANJ e a OAB do Ophir vão defender o Policarpo, os filhos do Roberto Marinho, o Ali Kamel, aqueles que perderam e 10 a 0 na decisão sobre as cotas raciais ?

Pode transformar delito sólido de maré baixa, recolhido no crime organizado em Chanel # 5, Dr Ophir, D Judith ?

Pode ?

Cade a liberdade de imprensa  do Policarpo ?

Os mervais acham que meter a mão no detrito sólido e operar em sintonia com os interesses empresariais do crime organizado é uma boa: desde que seja para derrubar um presidente trabalhista.

Para derrubar o Lula vale escrever uma “reportagem” de capa a quatro mãos com o Daniel Dantas, e plantar matéria de intresse do Carlinhos Cachoeira – isso está garantido pelo preceito da “liberdade de imprensa”.

Os fins justificam os meios.

O Conversa Afiada e o Tijolaço têm outra opinião, amigo navegante: jornalista bandido bandido é.

Paulo Henrique Amorim

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

(**) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é, porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.


Leia mais sobre a comemoração de mais uma matéria para ludibriar o povo brasileiro montada  por Cachoeira, Demóstenes e Veja aqui e a postura do Senador Álvaro Dias (PSDB/PR), sobre práticas ilegais da imprensa aqui

Nenhum comentário: