Blog do Cadu: Alagoas: CPI's pra ninguém ver. Nem o miserável do inglês.

sábado, 5 de maio de 2012

Alagoas: CPI's pra ninguém ver. Nem o miserável do inglês.


Acontecem neste momento, em duas casas legislativas alagoanas, na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal de Maceió, CPI's da mais alta importância. Da pistolagem no legislativo estadual e a CEI (CPI na Câmara) da Transpal – cooperativa dos empresários de transporte público de Alagoas.

Em ambas, figuras centrais sequer comparecem às sessões. Em ambas, boa parte daqueles que deveriam investigar (parlamentares) tem relações com o que se investiga.

Ou não tem deputado pistoleiro na ALE?

Ou não tem vereador financiado pelas empresas de transporte público?

Atualmente temos um ex-deputado federal com tornozeleira eletrônica. Foi preso acusado de crime de mando. Assassinato de vereador em Delmiro Gouveia. Seu irmão também, que assim como o primeiro já foram deputados estaduais.

Na ocasião da prisão a Polícia Federal interceptou ligações deles com mais dois deputados estaduais que não conseguiram se reeleger. Eles fugiriam para a Europa via Portugal.


Só um parenteses importante: um diretor da Polícia disse que o ex-deputado federal, que é delgado de policia poderia voltar as suas atividades profissionais, portanto o uso da tornozeleira, porque sua acusação (crime de mando) em nada tem a ver com a função de delegado de polícia.

Tem gente do parlamento estadual de Alagoas que tem o apelido de “Toinho Malvadeza”. Imaginem se essa CPI vai mesmo mexer no esquema dos crimes de mando em Alagoas.

Mais fácil boi voar.

No parlamento mirim, como é chamada a Câmara Municipal de Maceió – CMM, o debate é sobre a Transpal e seus aumentos de passagem pra lá de abusivos.

Não até onde se sabe, nenhum vereador ou vereadora tem sociedade em alguma empresa prestadora deste serviço.

Mas as empresas de transporte público financiam as campanhas eleitorais. Não só de vereadores, mas também de candidatos à prefeitura.

Acho que o boi vai voar de novo...

Não é exagero afirmar que pelo menos 2/3 dos vereadores e vereadoras de Maceió recebem ou já receberam ajuda financeira das empresas de ônibus em suas campanhas.

A volta do debate de algo que já tinha sido aprovado na CMM, é pra mim, apenas cortina de fumaça pra encobrir a CEI da Transpal. Falo do número de vereadores.

É falsa a afirmação que o aumento vai aumentar o gasto com legislativo. O repasse em duodécimos é constitucional. Tanto faz ter 21 ou 31 ou 3 ou 147 vereadores/as.

E a imprensa faz pouca cobertura das duas CPI's. Uma trata do problema secular da pistolagem nas terras caetés. Pistolagem que adquiriu um enorme poder político, quando até os puxadores de gatilho possuem mandatos eletivos. Se a imprensa alagoas cumprir seu papel, pode impulsar a CPI a chegar a algum lugar que não os arquivos da Casa de Tavares Bastos (ALE).

Nas devidas proporções esta CPI era pra ter o mesmo da CPI do Cachoeira / Veja.

E sobre a CEI da Transpal a mesma coisa. Quase não se fala dela. E agora com o debate dos número de vereadores... Esta CEI apenas virar discurso pra reeleição.

Mas ambas nos mostram o real problema da política brasileira: seu modus operanti; o pai da corrupção na política: o financiamento privado de campanhas eleitorais; o elo fraco: os paridos políticos. Estes que deveriam ser os mais fortes. O voto em lista é essencial. O fim do personalismo na política vai diminuir a permanências de figuras com “dedos nervosos” no parlamento.

É mais fácil cobrar postura ilibada dos partidos se os mandatos forem, de fato, vinculados a eles.

Do jeito que as duas Comissões estão indo e do jeito que a imprensa alagoas as acompanha e noticiam, ninguém vai ver nada que presta saírem delas, se é que vai sair alguma coisa. Não vão servir nem pra inglês ver.

Nenhum comentário: