Blog do Cadu: O Judiciário é uma cachoeira de coisa ruim

segunda-feira, 18 de junho de 2012

O Judiciário é uma cachoeira de coisa ruim



Está em curso a operação abafa do caso Cachoeira / Veja. Tem juiz querendo anular as provas existentes. Seu nome é Francisco da Costa Tourinho Neto, desembargador do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, de Brasília.

E tem gente que acha que o Poder Judiciário não é ou não está podre.

Este é pra mim, e já afirmei isso aqui outras vezes, o pior dos poderes.

Cada usuário da toga tem um poder vitalício e quase infinito dentro do Estado brasileiro.

Se comete alguma mazela, mesmo das mais graves, sua “pena” é aposentadoria compulsória.

Quem mandou não estudar pra virar juiz?!


Num caso desses que envolve senadores, governadores e poderosos da mídia, até que demorou para o Poder Judiciário intervir em favor dos “donos do capim”.

 Enquanto o Poder Judiciário for vitalício, estamos sujeitos às consciências de cada “togado”.

Não bastasse toda a nossa vida está cada vez mais judicializada.

E fatalmente em breve teremos uma justiça financeirizada, como é a dos EUA, por exemplo.

Ai é que vai lascar tudo de vez.

Não só devemos estar de olho no andamento da CPMI do Cachoeira / Veja, mas também nos passos judiciais.

Com esses juízes e desembargadores que temos no Brasil a coisa tá feia.

Se temos uma figura como Gilmar Mendes ministro do Supremo Tribunal Federal, a mais alta corte do país, o resto que vem abaixo é disso pra pior. Leia aqui e veja o calote de Gilmar

O jornalista Ricardo Kostcho acerta em (re) afirmar que par ao judiciário brasileiro "uns são mais iguais que outros". Leia aqui

Ainda mais com a pressão da grande imprensa. o maior núcle de chatagem existente no país.

Delegados da PF se insurgem contra Tourinho. Todo apoio aos delegados da PF. Leia mais aqui

Até troca do juiz que ordenou a prisão de Cachoeira foi trocado de Vara. Parece pornografia... Troca de Vara... Mas que é uma pu*****, isso é! Leia mais aqui

A imprensa ao invés do espetáculo deveria dar valor ao que interessa. Mas isso seria ir de encontro à lógica sistêmica.

Como seria bom pra nós se pelo menos um pouquinho a grande imprensa fizesse jornalismo e não práticas golpistas. Leia aqui interessante artigo sobre esse comportamento da grande imprensa brasileira.

Nenhum comentário: