Blog do Cadu: Perillo na CPMI

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Perillo na CPMI


Ontem, dia 12 de junho, tivemos amais um capítulo da CPMI do Cachoeira (e de Veja). Dessa vez compareceu para dar depoimento o governador de Goiás, Marconi Perillo. Aos tucanos coube rasgar elogios. Se dependesse deles o depoimento, longo por sinal, seria uma ode ao tucano goiano.

Natural que os tucanos o defendessem. Natural que o elogiassem, mas nem sequer perguntas fizeram. Nem pra tapear.

Ao contrário, ficaram falando em julgamento do “mensalão”. Como se o PT ou o governo tivesse algo a temer (sem trocadilho com o atual vice-presidente). Leia mais aqui

As transmissões pela TV das sessões, não só da CPMI ou das CPI’s, mas de todas as sessões do Congresso pelas TV’s Câmara e Senado transformam tudo em espetáculo.

Temos essa cultura do espetáculo. É parte da lógica da indústria cultural. Até os noticiários são assim. Quem começou com isso no Brasil foi a “grobo”, mas esse não é o debate aqui.

A coisa só esquentou quando chegou a vez dos parlamentares do PT (e alguns da base aliada) fazerem seus questionamentos. Os tucanos não queiram nem deixar os petistas falarem.

O primeiro bafafá foi quando o relator Odair Cunha perguntou se Perillo abriria mão de seus sigilos telefônicos e de SMS do ano de 2011.

Só por isso.

O José Dirceu abriu mão de todos os seus sigilos. Bancários, telefônicos e por aí vai. Leia mais aqui

Um dos argumentos de Perillo era o de não conhecer o Bicheiro, mas em gravações, Cachoeira afirma o ter elegido para o governo de Goiás. Leia mais aqui

Segundo Odair Cunha, uma denúncia anônima foi protocolada no gabinete do goiano sobre as atividades nada republicanas de Cachoeira. Isso ante de Perillo jantar com o bicheiro. Leia aqui

Eu não janto com quem não conheço, nem que conheça na hora do jantar, e você que lê isso agora?

Perillo também poderia explicar como foi que a revista CartaCapital sumiu das bancas de Goiânia. Leia mais aqui

Agora uma das coisas que mais me incomoda, é o fato de o único parlamentar de é incisivo na CPMI em relação à participação da “revista” Veja no esquema do Cachoeira é o Collor.

E aqui não faço defesa nenhuma de sua personalidade, tampouco de seu comportamento político.

Também não dá pra negar que existe sim um “Q” de vingança por parte dele contra a publicação da Editora Abril.

Existe certa razão nesse sentimento, mesmo que este não seja um sentimento nobre. Afinal como diz o “Seu Madruga”: “A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena”.

Esse sentimento é de cria abandonada aos leões pelo criador. Collor se tornou "o Collor" que o Brasil conhece graças à Veja e à Globo. Quando as ruas já não mais podiam ser seguradas, as "irmãs siamesas" nãosó o abandonaram, mas engrossaram o coro contra presidente pop star.

Mas não dá pra tirar por conta disso a razão do senador. Ele está certo em manter Veja na CPMI.

Por tudo que já foi divulgado nas gravações da PF e a própria postura de Veja, de suas capas, durante a duração da Comissão.

Sumiu o denuncismo. A não ser pra atirar no PT com coisas como a balela do Gilmar Mendes (ou será Mentes?). Serviu a carapuça.

Collor inclusive que o Procurador-Geral, Fernando Gurgel, responde pelo seu ato de prevaricação. O que também é justo. Leia mais aqui e aqui

Também não se pode deixar de colocar a presepada que a Globo News, através da repórter Cristiana Lôbo.

Num intervalo do depoimento, aparece ela toda serelepe falando em acordão. Depois é claro de ressaltar as belíssimas respostas do governador tucano, Marconi Perillo.

O que a Cris não contava era que tucanos (oposição) e petistas (base aliada) iriam desmenti-la em questão de segundos. Foi só recomeçar o depoimento que o clima esquentou e não parou mais.

A Globo não tem jeito mesmo. Uma vez golpista, sempre golpista.

Na vez do Agnelo, se ele conseguir provar que o que falam contra ele é mentira, a Globo vai fazer fala dizendo que ele se enterrou mais.

Por quê?

Porque uma vez golpista, sempre golpista.

Quando Collor estava no auge de sua fala sobre a Veja o sinal da Globo News saiu do ar. O ancora que estava no estúdio disse que eram problemas com sinal da TV Senado. Só que na Record News a transmissão não parou e o sinal é o mesmo. E na própria TV Senado (em algumas antenas e na internet) o sinal continuou perfeitamente.

E porque só o da Globo News caiu?

A resposta é a mesma das duas últimas perguntas.




Nenhum comentário: