Blog do Cadu: A resistência ao golpe no Paraguai

segunda-feira, 25 de junho de 2012

A resistência ao golpe no Paraguai


O Povo em frente a sede da TV pública do Paraguai exigindo a volta de democacia ao país.
Se alguém achava que o golpe no Paraguai seria dado sem resistência, enganou-se. Não somente o povo está nas ruas, ao contrário do que divulga nossa imprensa golpista, mas também os Estados da América do Sul (Unasul e Mercosul) falam em sanções ao Paraguai pelo golpe de Estado. Fala-se em tornar o governo golpista de Franco em pária no continente.

Apenas dois Estados reconheceram o novo governo paraguaio: o Vaticano e os EUA. Os EUA na verdade, já antes da consumação do golpe. “Devemos respeitar os trâmites constitucionais do Paraguai”.

Não tem quem não me tira da cabeça que a Hilary Clinton só veio para a Rio+20 para ver de perto o golpe no Paraguai. Ela chegou no último dia de participação dos chefes de Estado e o mesmo dia do golpe.


Esse interesse na América Latina faz parte de seu viés imperialista. Olha só na foto abaixo quantas bases militares o “Tio Sam” tem por aqui. No Equador foram expulsos, na Bolívia também, no Brasil Alcântara já tem mais a influência deles. Base plenamente brasileira. Não é à toa as tentativas de golpes nos países latino-americanos. Os EUA estão perdendo influencia econômica e militar no subcontinente.

Clique para ampliar


Além de suspensão na participação dos fóruns do continente, como o Mercosul, alguns países já começam a agir contra o governo golpista de Franco. A Venezuela vai parar de enviar petróleo ao Paraguai (clique aqui) e a Argentina retirou seu embaixador de lá (clique aqui).

Aliás, o embaixador argentino no país, Hector Timerman, conta detalhes dos bastidores do golpe paraguaio. Leia mais aqui

Segundo ele o que se fez foi rito sumário e que “O Mercosul aplicará os tratados que firmamos. E a Unasul também”.

Nada mais justo.

Nas últimas postagens coloquei a necessidade de atenção em relação a uma provável onda de golpes institucionalizados na América Latina (aqui e aqui). Como tentaram no Equador, contra Rafael Correa, vão usar a polícia também na Bolívia. Leia mais aqui

A grande imprensa brasileira tenta a todo custo esconder a reação popular ao golpe contra a democracia paraguaia. Inclusive que um representante de Franco foi à TV pública do país interferir na programação. A TV exibia as manifestações contra o golpe, inclusive com um microfone aberto na frente da sede da emissora. Clique aqui e veja o programa microfone aberto da TV pública do Paraguai de sábado com a participação de Lugo

Tanto é que os porta-vozes do governo golpista no Brasil são os “grandões” da grande mídia (leia mais aqui e aqui). O Jabor fez um comentário pra lá de golpista no jornal da Globo de sexta-feira (assista aqui). E tem gente que acha o Jabor cult.

Realmente, a grande mídia brasileira odeia a democracia.

Leia aqui um relato de sexta e sábado de Iuri Faria Codas, diretor da UEE-SP. Iuri está no Paraguai acompanhando os acontecimentos.



Nenhum comentário: