Blog do Cadu: Viver é o mesmo que lutar

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Viver é o mesmo que lutar


Passado o processo eleitoral, começam as análises dos resultados. Algumas com mais passionalidade outras, não. Natural, porque não só de razão vivemos. Natural, porque se houver sinceridade em suas ações, todas elas se moverão com certa emoção. Por mais invocador da racionalidade que se seja. Só consegue ser racional quem não tem envolvimento direto com determinado acontecimento. Todo o resto é conversa fiada.

Todos temos coloração ideológica na sociedade. Alguns têm vergonha de se assumir, outros não têm muita clareza da sua.

Como afirmou Gramsci, pensador marxista italiano “viver, significa tomar partido”. Todos têm partido na sociedade. O que não é o mesmo que ter filiação partidária. Infelizmente vivemos em uma sociedade pasteurizada, onde a vida é mais fácil sem assumir posições ideológicas ou quais quer que sejam. Os envergonhados, às vezes assumem algum posicionamento quando este é quase um fato consumado. São, mal comparando, zumbis sociais.

São zumbis porque não vivem. Não tomam partido, então não podem viver.


Há mais de uma década que atuo politicamente. Há mais de uma década que dedico boa parte de meu tempo defendendo minhas ideias. Passando pelo movimento estudantil, onde fui Coordenador Geral do DCE/UFAL e diretor da UNE, até dirigente partidário, tanto no PCdoB, onde iniciei minha militância politica, quanto no PT, partido que ajudo a construir desde 2006.

Coloco isso para reafirmar que tenho cor, tenho partido e filiação partidária. Tenho posições e as defendo da forma que puder. Não consigo nem me imagino sendo diferente. Vivo, pois tomo partido sobre tudo que vejo, sobre tudo que me relaciono.

Sobre as análises acerca do resultado eleitoral, penso que quem acompanha este blog sabe das minhas posições. Não escrevo nada agora para não carregar demais nas “tintas”.

Pior do que ter uma posição “ruim” é não ter posição, ou não demostrá-la. Nada mais covarde que isso.

Independentemente de eleições, as lutas continuam. Existem muitas mazelas a se resolverem, existem muitas mentes e corações a serem conquistados para algo mais avançado do que temos aí, com exploração, guerras e injustiças de toda ordem.

Cada um de nós é um revolucionário em potencial. Basta despertarmos para o que nos cerca de fato. Abandonarmos a pasteurização que o capitalismo nos impõe e realmente olharmos pela janela.

Afinal, todo coração é uma célula revolucionária. (filme Edukators)

2 comentários:

Anônimo disse...

Não sou de comentar muito em blogs e afins...mas queria parabeniza-lo, finalmente, pelo excelente texto-desabafo.

Ana Gloria

Gêbson Lacerda disse...

Caro Amigo Cadu,
Sabemos jogar as regras do dito "jogo democrático" mesmo não concordando com seus fundamentos distorcidos e vícios inerentes! Mais uma vez estamos na minoria! Estamos na minoria do resultado de um pleito eleitoral e como todos sabem(ou pelos menos deveriam saber)será quase que uma consequência inevitável "retonarmos" juntos com a maioria que se formará após esse lamentável perído de provação por que passaremos com aqueles que ainda não tiveram suas vendas e amarras desatadas! Essa é a dinâmica da luta social!Essa é a forja dos que querem a transformação da sociedade como nós!
Vale a luta! Forte abraço!
Gêbson Lacerda