Blog do Cadu: Supremo deboche

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Supremo deboche





“O Brasil mudou”. Essa é a ideia que a autoproclamada grande imprensa quer vender ao povo brasileiro como desdobramento do julgamento da Ação Penal 470. E mudou por causa do menino pobre que se tornou ministro do Supremo Tribunal Federal – STF. Até capa da coisa feita em papel couché (recuso-me a chamar Veja de revista), Joaquim Barbosa foi.


É bem verdade que após favas contadas na AP 470, a grande imprensa vem tentado dar uma baixada na bola de JB. Editoriais criticando sua postura, digamos, intempestiva diante das divergências. Um verdadeiro malabarismo editorial, em especial do Estadão.

Para mim e para milhões de brasileiros e brasileiras, menino pobre que mudou o Brasil foi outro. Foi o que sai de Garanhuns até São Paulo; perdeu um dedo na fábrica; tem a língua presa; usou barba (agora bigode); entre seus feitos, tirou milhões de pessoas da pobreza extrema e outros milhões elevou à condição de classe média; superou um câncer na laringe e foi o presidente mais bem avaliado da História deste país, elegendo sua sucessora, Dilma Rousseff.

No embalo da cantilena midiática, mutia gente passou a achar que o país mudou por conta do julgamento no STF. Não é difícil ver manifestações nessa direção nas redes sociais, por exemplo. Outra ideia bem consolidada no senso comum é que o STF está acima de interesses diversos, a não ser o de resguardar as Leis, a ordem e a Constituição do Brasil.

Isso é tão lindo que dá vontade de chorar. Nem que seja de desgosto com tamanho desconexo da vida real.


E agora o STF, na pessoa de Marco Aurélio Mello, concedeu uma liminar proibindo o governador tucano Marconi Perillo de ser convocado, investigado ou indiciado pela CPI do Cachoeira. Perillo, assim como Policarpo Júnior – editor chefe da sucursal da coisa em Brasília, manteve relações nada republicanas com o bicheiro pauteiro da grande imprensa nacional.

E já corre à boca miúda nas redes sociais que o STF vai tirar o (mal) uso da teoria do 'domínio do fato” do Acórdão. Isso para evitar recursos a organismos internacionais acerca do julgamento da AP 470.

Em uma explicação grosseira, é como se alguém esfaquear outro e no boletim de ocorrência não constar a faca. Os furos surgiram do nada.

Sob a ótica do Poder Judiciário, quem disse que o Brasil mudou?

Tucanos do bico fino e alta plumagem não podem ser incomodados.

Você tem dúvidas que o “mensalão” do PSDB e a “Lista de Furnas” não serão julgados? 

Bicos finíssimos e plumagens elevadíssimas têm participação nesses esquemas. De Aécio à FHC, passando por Gilmar Mendes.

E o governador de Alagoas concedeu uma medalha de mérito da república a FHC no dia 19 de novembro em Maceió.

Por falar em governador de Alagoas o mesmo apagou o feriado do Dia da Consciência Negra em Alagoas. Data para lembrar, além do racismo em nossa sociedade, a luta de Zumbi e do Quilombo dos Palmares.

Fora a renúncia fiscal em R$ 80 milhões por ano que o governador usineiro concedeu às usinas alagoanas. Legislar em causa própria é outra coisa, isso que Téo Vilela fez ainda não tem nome.

Enquanto isso, a elite brasileira; a grande imprensa – mais podre que dedo de leproso velho; o DEMo-tucanato e adjacências seguem debochando da minha e da sua cara.

A esposa de Ricardo Noblat responde, juntamente com Raul Jungmann no STF, por um desvio de R$ 30 milhões do Incra no governo FHC.

A coisa feita em papel couché foi pautada pelo bicheiro Cachoeira com o objetivo de derrubar agentes públicos em estatais, invade domicílios, publica entrevistas sem áudio e não acontece nada.

Na Inglaterra eles podem até manter família real – o que pra mim é um despautério – mas lá o similar ao Roberto Civita da editora Abril, Rupert Murdoch, magnata dos meios de comunicação, com empresas espalhadas em diversos países, depôs numa CPI. Até jornalista da BBC depõem em CPI's e nem de longe se fala em ataque à liberdade de imprensa. No Brasil, se for sussurrado que um jornalista deva depor como réu em uma CPI, a mídia alardeia como o maior ataque à imprensa da História.

É mole ou quer mais?

Pensem na mudança que o STF promoveu. O que era às escondidas, agora é ao vivo e em cores.

Viva a sociedade do espetáculo!

O deboche é grande. Fazendo um trocadilho: hoje o deboche é supremo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns!
Concordo plenamente!
E não sou pt!
Maria José

RLocatelli Digital disse...

Há método nessa malandragem. A condenação de Dirceu, Genoino e Delúbio foi apenas a primeira fase de um golpe de estado. A próxima etapa, já iniciada, é condenar Lula. E, por fim, a direita planeja cassar o mandato de Dilma e cassar o registro do PT na justiça eleitoral, impedindo o partido de disputar eleições. Ou organizamos a resistência AGORA, ou será tarde demais. Fernando Lugo e Manoel Zelaya que o digam...

Rebeca Silva disse...

Voce fala de um certo Sapa Barbudo.Um que o povão se guia essencialmente por estômago e sexo e, portanto, precisa de autoridade e moral. O governo Lula é uma peça de uma engrenagem maior, um processo mais amplo e profundo, político ..

Jaque Domingos disse...

Parabéns pelo texto impecável.
salve Lula,esse sim tem o meu respeito.o resto é invenção da mídia golpista.