Blog do Cadu: Serra, Marina e Freire: partido da massa cheirosa

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Serra, Marina e Freire: partido da massa cheirosa



Serra e “serristas” podem sair do PSDB por não concordarem com a candidatura de Aécio Neves à presidência da República em 2014. Para o ex-comunista (se que foi algum dia) Roberto Freire do Partido Popular Socialista (PPS) – ou seria Partido Paralelo do Serra? – o “vampirão” é de esquerda.

Para Freire, o PPS “admite discutir uma nova formação política democrática de esquerda com líderes tipo Marina e Serra”. Isso mesmo, para o comandante do apêndice tucano Marina Silva é do mesmo espectro que o Serra.

Será que poderemos ter uma chapa verde-vampiro? Ou seria vampiro-verde?

Quanto a Roberto Freire, esse se tornou apenas um xexelento que vive de cargos em governos tucanos e sempre que a tucanagem precisa de alguém para baixar o nível, ele cumpre esse papel.

Ainda se espera e aparentemente em vão que ele explique o desvio de R$ 33 milhões do Incra no governo FHC quando seu colega de partido e moralismo seletivo Raul Jungmann era o presidente da autarquia. Incidente que teve a participação da esposa de Ricardo Noblat de O Globo, Rebeca Scatrut.

A Marina também poderia dizer se mantém relações com um dos maiores sonegadores fiscais do país, se não o maior, seu candidato a vice-presidente em 2010, Guilherme Peirão Leal.

A Natura foi autuada pela Receita Federal em R$ 627,8 milhões, acrescidos de multa e juros, por não recolher impostos de uma empresa da Companhia. Inúmeras são as condenações por direitos trabalhistas. Uma rápida pesquisa na internet e isso é constatado.

E a Heloísa Helena, onde se especula que ela migrará para o partido de Marina Silva. A mesma deu declarações que sairia do PSOL por haver “malandros” na direção do partido. Ela se juntaria ao Serra em uma nova legenda?

Mas os desastres políticos da oposição não se veem em lugar algum. Na mídia ela é uma orquestra afinadíssima.

Essa possibilidade de debandada dos “serristas” do ninho tucano deveria ser pauta primeira de noticiários políticos. Mas para a oposição vale a versão do “mar de rosas”.

Se isso vingar, pelo menos a tese da “massa cheirosa” da Eliane Cantanhêde da Folha de São Paulo. Todo mundo usando os sabonetes e os perfumes da Natura.

3 comentários:

RLocatelli Digital disse...

O fracionamento da direita é consequência da crise mundial do capitalismo. Os "modelos" da direita eram a Europa e os EUA.

pela cidade com minha bike! disse...

Excelente texto!
geraldoambiental@gmail.com

Egomet Leão disse...

Essa história de colocar como candidato a Vice-Presidente numa chapa alguém todo endividado (ou em vias de ser investigado por fraude de grande porte) por alguns desses partidos sem-crédito já está manjada. Primeiro foi o candidato a Vice da Marina, depois foi o pretendente a Vice do Serra em 2010(para salvar o Banco da família) e agora, de novo, esse que quer jogar pra corner uma dívida fiscal incomensurável. Vade retro!