Blog do Cadu: AL: verbas publicitárias nas rádios

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

AL: verbas publicitárias nas rádios




No último dia 26 de julho comentei sobre os gastos de publicidade do governo de Alagoas em canais de tevê e sites na internet (clique aqui). Algumas coisas me chamaram a atenção como o “investido” no colunista Claudio Humberto e o aumento de recursos destinados a TV Pajuçara, de aliados do governador, perto das últimas eleições.

Agora comento os gastos publicitários em rádios alagoanas. O número de emissoras é grande, mas também identificamos coisas “estranhas”. Lembrado que o rádio é o veículo que chega mais próximo das pessoas. Mesmo com as televisões a cabo ou a internet se espalhando, só o rádio pode ser consumido ao se fazer outras atividades, como dirigir, lavar roupa, cozinhar ou pescar. A força política que tem uma emissora de rádio é gigantesca.

Os dados foram conseguidos através do advogado Pedro Acioli Filho que os solicitou através da Lei de Acesso à Informação (LAI). No email enviado pela Secretária de Comunicação (SECOM), a mesma garantiu acompanhar as execuções das campanhas publicitárias e que o critério é o técnico baseado em audiência.

Reafirmamos também os dados abaixo por si só não provam nada, mas demonstra o mesmo padrão em relação às emissoras de tevê e os sites na internet.

De 2008 até o mês de julho de 2013 foram gastos em publicidade em emissoras de rádio R$ 9.961.253,70. E entre as principais empresas as rádios Gazeta (AM/FM), das Organizações Arnon de Mello, cuja família proprietária é a do senador Fernando Collor, receberam mais, seguidos pelas rádios do Sistema Pajuçara de Comunicação (PSCOM), que tem tucanos de alta plumagem e parente do vice-governador como donos, rádios 96 FM e Grupo Correio / CBN que tem na sociedade o deputado federal Renan Filho, filho do senador Renan Calheiros.

Em 2011, ano pré-eleitoral, as rádios do PSCOM receberam mais recursos que as emissoras da Gazeta, mas no montante dos cinco anos e meio, as emissoras da família Mello receberam mais. Em 2012 as rádios do grupo Correio / CBN não receberam nenhum recurso em publicidade da SECOM.


clique para ampliar
 
clique para ampliar
 
Duas rádios do interior se destacaram no recebimento de recursos. Uma delas é a “Princesa das Matas”, que tem em sua sociedade, Elias Brandão Vilela Neto, irmão do governador Teotônio Vilela Filho e Flavius Flaubert Pimentel Torres, pai do prefeito de Viçosa, Flaubert Torres Filho. A outra é a rádio Palmeira FM, de propriedade de Edival Vieira Gaia, pai do deputado estadual Edival Vieira Gaia filho (PSDB).

Inclusive um dos sócios da rádio Palmeira FM é assessor parlamentar na Assembleia Legislativa de Alagoas. Luis Carlos Soares Gaia foi nomeado em 12 de abril de 2012, conforme Diário Oficial do Estado (clique aqui).


clique para ampliar


Ambas receberam mais recursos do que o grupo Correio /CBN.

clique para ampliar

clique para ampliar

clique para ampliar
Ao todo, em rádio de aliados do governador, foram gastos R$ 2.015.086,70. Sendo R$ 642.318,80 em 2010, ano eleitoral e da reeleição do governador Teotônio Vilela Filho e, R$ 518.693,99 em 2011, ano pós-eleitoral.  

clique para ampliar

Sobre as rádios de Renan Filho, várias polêmicas já foram levantadas. Ele é sócio de Tito Uchoa, primo do senador Renan Calheiros, no Sistema Costa Dourada Radiodifusão Ltda. e a rádio Correio não tem registro no ministério das comunicações. Aqui tratamos como um grupo apenas, por ambas funcionarem no mesmo prédio e que a rádio CBN Maceió tem seu registro em nome de Uchoa.

O que fica cristalino é a necessidade da lei de meios. O fim da interferência política na comunicação do país. O que acontece em Alagoas não é caso isolado. No cadastro do Ministério das Comunicações o que mais se vê são parentes de parlamentares, prefeitos e governadores como donos de emissoras de rádio e tevê. Caso queira ver todos os veículos de comunicação eletrônica (rádio e tevê) com registro no Minicom, clique aqui

Nenhum comentário: