Blog do Cadu: Eleição nos EUA: mudança ou pirotecnia?

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Eleição nos EUA: mudança ou pirotecnia?

Nesses últimos dias e especialmente na última terça-feira (a super-terça), dia 05 de fevereiro, toda a imprensa está, disputou cabeça à cabeça com o carnaval, cubrindo as previas eleitorais dos EUA. Por lá, os pré-candidatos à presidência disputam prévias em todos os 50 estados americanos. Em alguns estados, não-filiados aos partidos podem votar nas prévias. Mas será que lá se tem a expressão máxima da democracia?

Se depender da pirotecnia televisiva, sim. Mas na verdade, se conseguirmos olhar para além dos noticiários de tv veremos que os gringos não têm nada de democraticos. Estamos acompanhando apenas as prévias de 02 partidos. Os que possuem "grana" suficiente para estar na televisão. Lá existem mais do que esses dois partidos. Pobres coitados que jamais terão chance de sequer apresentar suas idéias dignamente.
Vou me ater aos partidos Republicano e Democrata, apenas. Como a maioria esmagadora do globo não tenho acesso à notícias dos outros partidos de lá.


No Partido Republicano, o de Bush, A disputa é fria e triste. Como foi e está sendo o seu governo. O senador McCain deve ser o candidato da bala à Casa Branca. Além de afirmar que só sai do Iraque quando o terrorismo acabar e Osama Bin Laden for preso, ele recebeu o apoio do Rambo (Silvester Stallone) do Exterminador do Futuro (Arnold Schwarzenegger). Sem falar que McCain parece o "mini me" de Bush.


No Partido Democrata (não confundir com o DEM daqui), a disputa está ente os senadores Barak Obama e Hillary Clinton. A senadora H. Clinton teve leve vantagem nas prévias, mas B. Obama ainda tem chance. Essa disputa deve ir até o último voto das prévias. Mas será que o fato de se sair uma mulher ou um negro para a disputa da Casa Branca vai realmente mudar alguma coisa, caso um deles se eleja, na política norte-americana?


Se Obama vencer as prévias e for eleito presidente será que vai haver um política de igualdade racial nos EUA? Ou se Hillary vencer, as mulheres vão ter o espaço que merecem na sociedade de lá? Não basta ser negro ou mulher para que essas políticas aconteçam. É preciso, de fato, estar comprometido com elas.


Uma coisa eles estão dizendo onde quer que vão: os EUA vão sair do Iraque. Caso um deles seja eleito e isso realmente aconteça, será um avanço. Mas e a outra forma de imperialismo que os EUA vêm há muito tempo cometendo, o imperialismo econômico. Será que acaba caso o Partido Democrata vença a eleição? Sinceramente, acho que não.


Talvez, eu disse talvez, se algums daqueles partidos que mencionei acima (os pobres coitados) vencessem a eleição os povos do mundo poderiam ter um chance. Entre eles está, por exemplo, o Partido Comunista. Não se espante, lá tem Partido Comunista e Socialista também. Infelizmente na "super" democracia estadounidense eles não têm vez.

Nesse quadro quase tão animador quanto enterro de cachorro, o que resta, ao meu ver é torcer pelo menos ruim. E nessa eleição é o Partido Democrata. Seja Obama ou Hillary o nome escolhido, entre eles não tem muita diferença não.

2 comentários:

Diego Costa disse...

Grande Cadu, parabéns pelo texto bastante esclarecedor. Eu sempre fico muito triste quando a gente tem que torcer pelo menos pior. Bate uma desilusão muito grande quanto ao futuro no mundo. Mas infelizmnte é assim mesmo que tm que ser. Até porque, apesar das nossas "crises" ou como preferir confusões da nossa política eu acho que nos EUA os eleitores tm uma característica diferente, pois a liberdade que eles têm de votar é maior e isso faz com que seja mais homogênea as intenções eleitorais. Os estadunidenses têm o capitalismo e um estilo de vida extremamente individualista na veia, pra mim, lá ser crítico e ativista político é exceção. UM abraço e quero ver mais textos assim! rsrsrsrs.

Edberto Ticianeli disse...

Cada vez melhor! Gostei da análise. Eleições nos EUA é isso mesmo: jogo de cartas marcadas. Quem tem mais dinheiro compra a propaganda que quer. Entretanto só recebe dinheiro quem já é forte. É um ciclo vicioso. Qauem manda mesmo são os grandes negociantes, com destaque para a indústria armamentista. Pergunto se alguém consegue lembrar algum nome de outro partido, além dos famigerados Democratas e Republicanos? E olhe que lá existem dezenas de partidos. E ainda têm a cara-de-pau de criticarem o regime cubano por falta de democracia. Partido único é esse: Demorepucratano