Blog do Cadu: 2 mil servidores saem às ruas de Maceió contra o Governo Téo

quarta-feira, 11 de maio de 2011

2 mil servidores saem às ruas de Maceió contra o Governo Téo

“Servidor na rua, Téo a culpa é sua!”. Com gritos em protesto ao que os servidores chamam de “desgoverno”, cerca de 2 mil trabalhadores da saúde, educação, policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários fizeram passeata com direito a trio elétrico em protesto e pararam o trânsito nas ruas do centro de Maceió. Agentes do Bope acompanharam a manifestação pelo lado de dentro do Palácio República dos Palmares.

Por Fran Ribeiro*

Depois da assembleia dos policiais militares e bombeiros que aconteceu na tarde desta terça-feira, 10, na Praça Deodoro, no Centro, a categoria militar decidiu pelo desaquartelamento por 48h. Na sexta-feira, 13, à tarde, o movimento unificado dos servidores públicos deram o prazo final para que o governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) abra um canal para a negociação do reajuste salarial. Após a assembleia, os trabalhadores saíram pelas ruas do Centro para mostrar ao resto da população o descaso do governo com o serviço público de Alagoas.

“O dinheiro gasto com a publicidade, ele [Téo] deveria investir nas melhorias do setor público. Os trabalhadores merecem um salário digno”, declarou o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT/AL), Izac Jackson. “O Governo tem que prestar contas com o que o dinheiro público é gasto. O aumento de 5,91% não resolve o problema. Os servidores não têm condições de trabalho e o salário é de fome”, disse o deputado estadual pelo PT, Judson Cabral. Além dele, outros oito deputados participaram do protesto em apoio à reivindicação dos servidores. “O governo não sabe que está pisando em um formigueiro e quando se pisa tem que agüentar”, concluiu Judson.


Revoltados, os trabalhadores chegaram a derrubar as grades da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), quando passaram pelo local. Já na porta do Palácio, os gritos eram de “derruba,derruba”, ameaçando a levar à baixo o portão de entrada do Gabinete Civil. A radicalização dos trabalhadores é o resultado da falta de respostas do governador Teotonio Vilela  por um novo valor para o reajuste salarial.

“Nós podemos e vamos aumentar o trabalho com os servidores. Estamos desde o início dos protestos ao lado dos trabalhadores, contra as atitudes do governo. A gente quer que o canal de diálogo seja aberto, e não que ele vire as costas”, declarou o deputado estadual do PT, Ronaldo Medeiros.

De acordo com informações não oficiais, o delegado-geral da Polícia Civil estaria no fazendo a segurança do Palácio dos Palmares. “Soubemos que o Barenco está fazendo a segurança do ‘Palácio de Vidro’. Acho que ele não escutou quando nós, policiais fomos chamados de maloqueiros”, declarou um policial durante a fala no trio elétrico. “O Téo não serve mais para Alagoas”, declarou o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindapen), Jarbas Souza.

Brasil x Chile tem partida ameaçada 

Os policiais militares chegaram a declarar que a partida amistosa entre as seleções femininas do Brasil e Chile, marcada para acontecer no próximo sábado (16), às 16h no Estádio Rei Pelé, não irá acontecer. A atacante e melhor jogadora de futebol do mundo, Marta é uma das convocadas. A mobilização é para que os servidores vão ao estádio e façam um protesto lá.

“A gente não é burro. Ele [Téo] não sabe do que a gente é capaz. A nossa luta é legítima e cada vez mais ganha corpo, com mais pessoas descontentes com o descaso do Governo”, declarou um policial que não quis se identificar.





*Retirado do Portal Primeira Edição (clique aqui)

Nenhum comentário: