Blog do Cadu: Propagação de farsas como instrumento de ódio de classe

domingo, 9 de setembro de 2012

Propagação de farsas como instrumento de ódio de classe

Boris Casoy e seu ódio à classe trabalhadora
É gritante a capacidade que se tem de farsas serem disseminadas como verdades, em especial, se forem contra Lula, o PT, movimentos sociais e a esquerda em geral. Desde a vitória de Lula em 2002, a grande imprensa nos tenta passar a sensação de até esse dia nunca houvera corrupção no Brasil. Infelizmente, tem gente que realmente acredita nisso.

Não bastasse o papel deseducador dos barões da mídia, existe o papagaios de pirata que vivem a repetir as farsas odiosas à classe trabalhadora.

Quem não se lembra de como a grande imprensa passava ao povo brasileiro que o Brasil era um país maravilha enquanto um sem número de pessoas eram presas e torturadas durante da ditadura militar?

Atualmente, os casos não são poucos. Entre os maiores deles temos o chamado “mensalão” do PT, um processo no STF com 50 mil páginas e sem nenhuma prova. Ou como não se fala do "mensalão tucano" em MG, processo anos mais antigo e em vias de prescrever no Supremo. Também podemos citar o discurso moralista como algo mais perene, presente em nosso dia a dia sem que mesmo tenhamos consciência de tal postura circunda entre nós.

O melhor exemplo é o Demóstenes Torres, o mosqueteiro da ética de Veja. Ou em caso local, o Rui Palmeira (PSDB) como um dos mais atuantes parlamentares do Congresso. Nas listas do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), o deputado alagoano nem é citado. Nem sequer entre os 100 mais atuantes. Ou que tentam transformar Ronaldo Lessa (PDT) em personificação da corrupção em Alagoas.


Parte do “esquema” de propagar farsas também fazem parte, por vezes, setores do próprio Estado, como os parlamentos e justiça. Quando Ministério público “requenta” uma denúncia, por exemplo, não estaria querendo fazer parecer que alguém é culpado a qualquer custo?

Entre os mais recentes estão a fortuna do Lula. A farsa remonta à revista estadunidense Forbes. Segundo a ladainha Lula teria acumulado, enquanto Presidente da República uma fortuna de dois bilhões, nas mensagens que reforçam a boataria só não está claro se é de dólares ou reais. Foi o que constatou o site E-Farsas, especializado em farsas na internet.

Outra é um vídeo afirmando que a PresidentA Dilma estaria mentindo sobre a redução da tarifa de energia elétrica anunciada em pronunciamento à nação na noite seis de setembro em virtude do aniversário da Proclamação da Independência.

A farsa acusa Dilma de mentir sobre a redução. Isto seria uma restituição por cobrança indevida de tarifa de energia. O Blog da Cidadania, do jornalista Eduardo Guimarães, desmontou por completo tal farsa.

A direita brasileira se vale da máxima de Joseph Goebbels, secretário de comunicação de Hitler, de que uma mentira repetida várias vezes torna-se uma verdade. O problema é que por conta do preconceito de classe, existente e sempre fortalecido pela grande imprensa em nossa sociedade, não se sabe até que ponto tais farsas vão perdurar nas mentes das pessoas. Lutar contra elas não é tarefa fácil.




Nenhum comentário: