Blog do Cadu: Sobre a prisão de Black Blocs

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Sobre a prisão de Black Blocs



Cinco pessoas, ligadas aos Black Blocs, foram detidas. A polícia do Rio de Janeiro as localizou pelo Facebook. A onda de manifestações que tomou conta do país durou mais tempo naquele estado – em outros também, como Minas Gerais, por exemplo. Mas a mídia só mostra o RJ por que Cabral era fiel apoiador de Lula.

Para quem ainda não sabe, os Black Blocs surgiram em 1980 na Alemanha em manifestações antinucleares. Ao invés de usar máscaras, pintava-se o rosto. Somente em 1999, eles voltaram a aparecer. Dessa vez durante uma reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Seattle, nos Estados Unidos. A partir daí surge a postura de atacar símbolos financeiros e grandes corporações. Em 2011, eles participaram ativamente dos protestos do Occupy.

Até no Cairo, capital do Egito, houve esse tipo de atuação, só que atacando muçulmanos em celebração ao aniversário da queda da ditadura daquele país. Essas informações foram publicadas na edição nº 760 de Carta Capital.

Eles não são necessariamente uma organização, ou pelo menos, não se intitulam ser. No Brasil, essa “novidade” apareceu no último mês de junho. E diferentemente de outros países, até onde se tem notícia e tendo o Egito como exceção, há uma forte infiltração de agentes da direita nas suas convocações. O fato de não ter uma coordenação, por não ser uma organização é um prato cheio para manipular as ações de quem se diz Black Bloc.

A própria convocação da marcha golpista no próximo sete de setembro teve o uso de perfis na internet intitulando-se do Anonymous e Black Bloc. Afinal, se não se tem rosto, qualquer um pode ser membro. O que no filme e quadrinhos do “V de Vingança” uma máscara de Guy Fawkes é usada para derrubar um governo fascista. Ela serve como facilitador para a manipulação de quem se sente parte dessa turma, pois não se sabe quem está orientando, portanto torna-se difícil saber os reais objetivos a serem alcançados.

Apesar de considerar o uso de máscara em manifestações um ato de covardia, de afirmar que os atos de expulsão de militantes partidários e de centrais sindicais em junho terem sido manifestações de fascismo – e esses gestos foram inflados por agentes da direita tentado direcionar os protestos –, não penso que proibir o uso das máscaras e prender membros apenas por serem membros seja correto.

Quem garante que as pessoas que quebraram bancos ou que quer que seja, são mesmo membros dos Black Blocs? Mas esse é um dos problemas de ser uma organização não organizada (?!). Será que vai ser proibido o uso de máscaras no Carnaval? O questionamento se dá por que nesse período há muita gente nas ruas, prato cheio para quem quer “traquinar”.

Ao invés de proibir o uso de máscaras – doença fascistoide – para dar respostas ao capital e as dondocas horrorizadas com o “vandalismo”, deveria se colocar a política no centro do debate mediano das pessoas. Se há maior participação política, mais pessoas interferem na realidade, se sentem no comando das ações do Estado. Mas isso as elites não querem, elas não gostam de povo.

5 comentários:

Lais Amaral disse...

Cadu, acredito que colocar a ação do grupo em meio ao debate político é oportuno, mas não descarto a importância de ação repressiva contra esses caras acontecendo em paralelo. O perfil do grupo é fascista e com a pressão, os deslumbrados e alienados poderiam perceber estão entrando numa furada e que isso não é uma inocente baderna de adolescentes.

Anônimo disse...

Discordo, no que quebrar vidraças de banco, lojas e comércios ajuda a acabar com o Capitalismo?

Os donos tem seguro e quem acaba pagando o pato é o trabalhador desses estabelecimentos.

Pra mim isso é modinha dos filhinhos de papai em busca de emoção.

Já o tal Anonymous, vulgo Tucanonymou, não passam de reaças lutando contra 'corrupção' e pedindo a 'prisão do mensaleiros', tudo direitista golpista a mando tucano e americano. Contra a cprrupção nos governos tucanos não se vê nenhuma máscara, porquê? Adivinhem?

No 07/09 essa cambada estará barbarizando na rua novamente, junto com direitistas golpistas viúvas dos militares, tudo pra criar um clima insustentável no país, como quando tomaram conta das manifestações de julho.




.
.
.

Helder

vera correa disse...

Não sou dondoca e moro no RJ e pra mim já deu... na própria constituição diz que é vedado o anonimato quando se quer manifestar, portanto se alguém o quiser fazer tem que ter coragem de se identificar... um monte de classe média manipulada por um partido e um grupo a tirar nosso direito de ir e vir. Sim nao podemos mais andar na Cinelândia tranquilos pois a qualquer momento um policial ou mascarado pode aprontar alguma. E eles ficam falando dos policiais disfarçados no meio deles , querem que os policiais mostrem a cara então que façam o mesmo.

Zezé Sette disse...

Cadu, pela 1ª vez vou discordar de vc - não costumo comentar mas leio todos seus posts e gosto muito.
Estou totalmente de acordo com Lais, Helder e Vera, Cada um falou um pouco do que penso sobre os tais mascarados. Chega de baderna, chega de palhaçada. Acabou a graça.
Grande abraço!

RLocatelli Digital disse...

Quanto à detenção, em princípio sou contra, a não ser que seja prisão em flagrante por vandalismo.

Mas o tal black blocs tornou-se uma senha para a direita. Como você disse, se é um grupo "anônimo", então qualquer um pode fazer parte.

Não existe organização "horizontal". Movimento popular se faz com reuniões, com organização e com mobilização. E tudo isso precisa de liderança. Organização "horizontal" é conversinha de intelectual.