Blog do Cadu: O senta e levanta de Joaquim Barbosa

sábado, 21 de dezembro de 2013

O senta e levanta de Joaquim Barbosa

Foto: Brasil 24/7




Joaquim Barbosa negou a suspensão da liminar que impede a implantação do IPTU progressivo na cidade de São Paulo feita a pedido da Federação das Indústrias de São Paulo (FIESP) e do PSDB. Ela foi concedida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo e mantida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Como a decisão de manter a liminar foi monocrática, ainda poderá ser revertida em plenário.


Segundo Fernando Haddad (PT), prefeito da capital paulista, essa é a primeira vez, desde Jânio Quadros, que um prefeito é impedido de atualizar o valor do imposto municipal. Talvez por ser a primeira vez que isso é feito para beneficiar os mais pobres.

A decisão por si não é de causa surpresa visto as últimas ações de Barbosa no comando do Supremo Tribunal Federal (STF). O que chama a atenção são as fotos das reuniões com Paulo Skaf, presidente da FIESP e com o prefeito de São Paulo. Com o empresário ele se deixou fotografar sentado e com o petista em pé.


Há tempos que se sabe que Joaquim Barbosa sofre de dores na coluna e que por isso fica constantemente em pé nas sessões do STF e em reunião do seu dia a dia. Mas daí a sentir dores que o impossibilitem de sentar, mesmo por alguns minutos, já é caso de aposentadoria por invalidez.

Barbosa, com todas as personalidades com quem se reuniu em seu gabinete, sempre foi fotografado em pé enquanto seus convidados estavam sentados. Simbolicamente isso representa superioridade. No ponto mais alto fica quem é superior.

Por exemplo, nenhuma bandeira, de qualquer que seja o país, pode estar em um ponto mais alto do que a bandeira do Brasil em nosso território. Aqui a bandeira mais importante é a nossa, por isso fica no ponto mais alto.

Então por que Joaquim Barbosa se deixou fotografar sentado ao lado de Skaf? Ele considera o presidente da FIESP um igual? Ou será que deseja que o empresário paulista lhe consiga patrocinadores de campanha, caso o financiamento eleitoral ainda continue valendo para 2014? A ver.

Nenhum comentário: